Flebo-linfedema: do problema à solução!

O flebolinfedema é uma das causas mais frequentes de pernas inchadas e pesadas, que resulta da disfunção do sistema venoso e do sistema linfático. Estes dois sistemas circulatórios são interdependentes, e quando existe comprometimento de um, o outro terá de compensar. Quando este equilíbrio falha, a sobrecarga levará à retenção de líquidos nas pernas, com edema (inchaço), sensação de peso, dor e cansaço, principalmente ao final do dia.




Assim, o flebolinfedema é uma combinação da insuficiência venosa e da insuficiência linfática, que leva à acumulação de líquido intersticial nas coxas, pernas e pés. A insuficiência venosa crónica, é uma doença que resulta da disfunção das válvulas que existem nas veias, levando ao refluxo do sangue venoso, dilatação das veias (varizes), que por sua vez leva à hipertensão venosa. Esta pode estar relacionada ou não, com a obstrução venosa por exemplo por antecedentes de trombose venosa superficial ou profunda. A insuficiência linfática ocorre quando existe insuficiência valvular nos vasos linfáticos, impedindo assim o transporte eficaz da linfa. Esta pode ser primária (nos casos de linfedema primário) ou secundária (por exemplo após cirurgias, infeções prévias, lesões por queimadura). Associa-se também por vezes ao Lipedema.

Desta forma, a insuficiência venosa crónica, como aumento do volume de líquido para ser drenado pode levar secundariamente à disfunção do sistema linfático. Os capilares linfáticos ficam sobrecarregados levando ao alargamento, distensão e rutura. Os compostos da linfa (água, proteínas e outras moléculas) acumulam-se num espaço fora dos capilares, mais especificamente no espaço intersticial. Este excesso de líquido, com proteínas e moléculas pró-inflamatórias. leva à inflamação, fibrose e dor.

Diagnóstico O diagnóstico do flebolinfedema é realizado por observação clínica e exame físico, Pode ser complementado por alguns exames auxiliares de diagnóstico. O exame mais útil é o ecodoppler venoso, pois possibilita uma avaliação morfológica e hemodinâmica do sistema venoso.


Tratamento

O tratamento terá como alvo a correção da disfunção venosa e linfática. No caso da disfunção do sistema venoso, dependendo da causa e do resultado do ecodoppler, poderá ser necessário o tratamento de varizes. A técnica mais comum é Ablação Endovenoso a Laser (EVLA). Permite o tratamento da insuficiência venosa minimamente invasivo, sem cicatrizes, com tempo de recuperação curto e sem necessidade de anestesia geral. Esta pode ser complementada com outras técnicas, nomeadamente micro-cirurgia e escleroterapia de espuma.


A Drenagem Linfática Manual (DLM) é uma massagem especializada que promove a drenagem do líquido em excesso que se encontra no interstício, no tecido e dentro dos vasos, por meio das anastomoses superficiais axilo-axilar e axilo-inguinal. A drenagem permite estimular pequenos capilares que se encontram inativos e, também, dissolver fibroses linfostáticas que se apresentam em linfedemas mais exuberantes. O sentido do fluxo linfático superficial obedece às diferenças de pressões e de forças externas como a contração muscular e a DLM, pois os capilares linfáticos não contém válvulas. O tempo ideal de DLM é em torno de 30 minutos por região tratada.

O Kinesio taping é um método criado pelo japonês Kenzo Kase, com o objetivo de criar uma fita terapêutica que pudesse suportar articulações e músculos, sem restringir a amplitude do movimento. A fita de taping é um material composto de 100% de algodão, resistente a água, hipoalérgico, termoadesivo e com alongamento no sentido longitudinal. É similar em espessura e peso à pele, com propriedade elástica de até 140%, correspondente à mesma da pele. A camada adesiva absorve o calor do corpo, portanto é ativada uma única vez, após atingir a temperatura corporal. A banda de Kinesio pode permanecer na pele de 3 a 5 dias, com descanso de 24 horas entre uma aplicação e outra. Esta técnica tem demonstrado evidência cientifica na redução do linfedema, na capacidade funcional e na qualidade de vida do doente. A banda de Kinesio é aplicada com o objetivo de aumentar o espaço entre a pele e o tecido subjacente melhorando as circulação linfática e reduzindo o líquido acumulado. Os dispositivos de compressão médica (DCM), também chamados de contenções elásticas ou braçadeiras elásticas, são graduados entre as pressões de 18 a 60 mmHg. Os DCM são classificados quanto ao tipo de compressão em: Classe 1: 18-21 mmHg, Classe 2: 23-32 mmHg, Classe 3: 34-46 mmHg e Classe 4: pelo menos 49 mmHg. Os DCM devem ser substituídos a cada 4 a 6 meses, ou quando eles começar a perder a sua elasticidade. O efeito destes dispositivos baseiam-se na melhoria do fluxo linfático, aumento do volume e fluxo de sangue venoso, redução do edema, diminuição da inflamação e melhoria da microcirculação e oxigenação cutânea.




Assim, o diagnóstico e tratamento do flebolinfedema tem várias componentes de forma a corrigir todas as componentes do problema. Na clínica BEST conta com uma equipa de profissionais especializados, no âmbito da Fisioterapia, Cirurgia Vascular, Dermatologia e Nutrição. Agende a sua consulta para avaliação.




45 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo