Prurido vulvar. Quais as principais causas, que soluções existem e como prevenir?


No artigo BEST Saúde deste mês, a especialista em Ginecologia Dra. Fernanda Costa fala-nos das principais causas de prurido vulvar, quais os tratamentos disponíveis e que cuidados a ter.





Prurido vulvar: é normal? O prurido vulvar esporádico é comum e pode ser normal. Por outro lado, o prurido vulvar persistente não é normal e pode ter um forte impacto na vida quotidiana; neste contexto, é importante saber a causa para instituir o tratamento adequado. Qual a causa? Existem várias causas possíveis de prurido vulvar:

  • Infecção por fungos (candidíase vulvo-vaginal) e por outros agentes infeciosos como a vaginose bacteriana ou a tricomoníase;

  • Doenças de pele como, por exemplo, eczema/dermatite, psoríase e outras doenças de pele menos comuns, como líquen escleroso;

  • Irritação por suor, roupas apertadas ou produtos de higiene pessoal (sabonetes, detergentes, espermicidas).


O prurido pode estar associado a alguma alteração visível da vulva? Dependendo da causa, poderá não ocorrer qualquer alteração, ou então poderá constatar-se presença de alterações de cor, superfície ou textura. A cor da pele pode ser alterada para vermelho, branco ou castanho. A superfície da pele pode estar seca e escamosa, ou húmida. A textura da pele pode espessar pela doença subjacente, mas também pelo traumatismo causado pelo ato persistente de coçar. À medida que a pele se vai tornando mais espessa, maior o prurido. Como se trata? O tratamento depende da causa. O seu médico irá recomendar o tratamento adequado de acordo com a condição subjacente. O que posso fazer?

  • Siga os conselhos do seu médico;

  • A água pura ou soro fisiológico é a maneira mais delicada de lavar a vulva. Para a higiene íntima deve usar um produto hipoalergénico suave e sem perfume;

  • Evite lavagens excessivas. O prurido vulvar não é consequente à falta de higiene.

  • A limpeza excessiva removerá os óleos naturais protetores da pele, secando e irritando ainda mais a pele;

  • Se a área estiver seca e irritada, use uma fina película de um cicatrizante tópico em pomada para selar a humidade e proteger a pele, enquanto aguarda o conselho do seu médico;

  • Evite produtos perfumados;

  • Use roupas íntimas de algodão; os tecidos sintéticos tendem a aumentar a temperatura local e a transpiração;

  • Evite roupas apertadas;

  • Opte por detergentes hipoalergénicos suaves e sem perfume para a lavagem da roupa;

  • Se necessário, opte por absorventes higiénicos ou tampões de algodão; O prurido vulvar agrava com o calor; por esse motivo, evite usar roupas íntimas à noite.

O que posso fazer para que o prurido não volte? Não deve coçar. Ao coçar está a danificar a pele, levando à persistência dos sintomas. O seu médico irá aconselhá-la o que fazer nessas circunstâncias. Para os sintomas noturnos, o seu médico poderá prescrever um anti-histamínico como a hidroxizina, que deve ser tomado antes de dormir.

Para mais informações, agende uma consulta de Ginecologia com os nossos especialistas através do link de contactos.

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo