top of page

Prurido vulvar. Quais as principais causas, que soluções existem e como prevenir?


No artigo BEST Saúde deste mês, a especialista em Ginecologia Dra. Fernanda Costa fala-nos das principais causas de prurido vulvar, quais os tratamentos disponíveis e que cuidados a ter.





Prurido vulvar: é normal? O prurido vulvar esporádico é comum e pode ser normal. Por outro lado, o prurido vulvar persistente não é normal e pode ter um forte impacto na vida quotidiana; neste contexto, é importante saber a causa para instituir o tratamento adequado. Qual a causa? Existem várias causas possíveis de prurido vulvar:

  • Infecção por fungos (candidíase vulvo-vaginal) e por outros agentes infeciosos como a vaginose bacteriana ou a tricomoníase;

  • Doenças de pele como, por exemplo, eczema/dermatite, psoríase e outras doenças de pele menos comuns, como líquen escleroso;

  • Irritação por suor, roupas apertadas ou produtos de higiene pessoal (sabonetes, detergentes, espermicidas).


O prurido pode estar associado a alguma alteração visível da vulva? Dependendo da causa, poderá não ocorrer qualquer alteração, ou então poderá constatar-se presença de alterações de cor, superfície ou textura. A cor da pele pode ser alterada para vermelho, branco ou castanho. A superfície da pele pode estar seca e escamosa, ou húmida. A textura da pele pode espessar pela doença subjacente, mas também pelo traumatismo causado pelo ato persistente de coçar. À medida que a pele se vai tornando mais espessa, maior o prurido. Como se trata? O tratamento depende da causa. O seu médico irá recomendar o tratamento adequado de acordo com a condição subjacente. O que posso fazer?

  • Siga os conselhos do seu médico;

  • A água pura ou soro fisiológico é a maneira mais delicada de lavar a vulva. Para a higiene íntima deve usar um produto hipoalergénico suave e sem perfume;

  • Evite lavagens excessivas. O prurido vulvar não é consequente à falta de higiene.

  • A limpeza excessiva removerá os óleos naturais protetores da pele, secando e irritando ainda mais a pele;

  • Se a área estiver seca e irritada, use uma fina película de um cicatrizante tópico em pomada para selar a humidade e proteger a pele, enquanto aguarda o conselho do seu médico;

  • Evite produtos perfumados;

  • Use roupas íntimas de algodão; os tecidos sintéticos tendem a aumentar a temperatura local e a transpiração;

  • Evite roupas apertadas;

  • Opte por detergentes hipoalergénicos suaves e sem perfume para a lavagem da roupa;

  • Se necessário, opte por absorventes higiénicos ou tampões de algodão; O prurido vulvar agrava com o calor; por esse motivo, evite usar roupas íntimas à noite.

O que posso fazer para que o prurido não volte? Não deve coçar. Ao coçar está a danificar a pele, levando à persistência dos sintomas. O seu médico irá aconselhá-la o que fazer nessas circunstâncias. Para os sintomas noturnos, o seu médico poderá prescrever um anti-histamínico como a hidroxizina, que deve ser tomado antes de dormir.

Para mais informações, agende uma consulta de Ginecologia com os nossos especialistas através do link de contactos.

bottom of page